Missionária ajuda homem de 64 anos a mudar de vida e é assassinada por ele

Polícia encontra declarações de amor escritas por suspeito de assassinato

Francisco Lopes Ferreira, de 64 anos, é suspeito de assassinar a missionária, a vítima estava ensinando Francisco a escrever. O suspeito já foi preso pelo crime de estupro. Simone Facini Lopes, de 31 anos, era voluntária em um projeto social e dava aula para crianças em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, e foi nesse projeto que conheceu Francisco,que apareceu com diversos ferimentos pelo corpo e foi tratado pela vítima que era professora, casada e tinha um filho de 10 anos. Passados alguns dias, Simone foi encontrada morta, acorrentada, seminua e com sinais de violência sexual.

A Polícia Civil continua a procura do homem suspeito de matar e acorrentar a missionária Simone Moura Facini Lopes, de 31 anos. A vítima foi assassinada na noite de domingo (12) em uma chácara no Jardim Planalto em Rio Preto. Os policiais encontraram na casa do suspeito, de 64 anos, Francisco Lopes Ferreira, uma dedicatória escrita pelo homem que estava aprendendo a ler e escrever com a ajuda da vítima.

As palavras de amor foram escritas em uma foto da mulher. Logo depois do crime, o outro homem, de 47 anos, que divide a casa com o idoso, disse à polícia que Francisco tinha uma atração pela vítima, mas não era correspondido.

Após o crime, o suspeito não foi mais visto. A polícia descobriu que os dois homens possuem passagens anteriores pelo crime de estupro. O idoso, segundo a DIG, deixou a cadeia em outubro de 2014.

A família de Simone não tem dúvidas de que Francisco tenha cometido o crime, mas acredita que ele não tenha feito tudo sozinho.

Na cena do crime a polícia encontrou a vítima seminua, ensanguentada e com ferimentos na cabeça. Uma marreta, que possivelmente foi utilizada no assassinato, foi apreendida.

A Delegacia de Investigações Gerais pede que pessoas que tiverem notícias sobre o paradeiro do suspeito entrem em contato pelo telefone 197, para quem está em Rio Preto, ou (17) 3236-8844, quem está na região. O sigilo é absoluto.

Veja o vídeo:

 

ver mais notícias