Gilmar Mendes defende decisão de Ricardo Lewandowski e diz que TSE se precipitou

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, que também é membro do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu nesta terça(4) a decisão do ministro Ricardo Lewandowski de suspender a eleição suplementar a governador do Amazonas.

“Aqui notoriamente houve uma precipitação do tribunal ao determinar que se cumprisse a decisão sem acórdão, o que não é ortodoxo aqui. Mas o tribunal estava com uma composição substitutiva. O resultado: o ministro Lewandowski deu liminar. E isso tem custo. Essa eleição custa R$ 18 milhões pelo menos”, apontou Gilmar Mendes.

O presidente do TSE afirmou que o recurso contra o acórdão da decisão do pleno faz parte de um novo direito brasileiro que vai se desenvolvendo e que de fato não é condizente com tradições.

 

ver mais notícias