Ex-dono da Gol é condenado a 16 anos de prisão por homicídio

O empresário Nenê Constantino foi condenado pelo Tribunal de Justiça de Taguatinga, no Distrito Federal, a 16 anos e seis meses de prisão por homicídio qualificado.
O ex-dono da companhia aérea Gol foi considerado o mandante do assassinato o Márcio Brito em 2001 por júri popular.
A sentença foi proferida na madrugada desta sexta-feira (12) pelo juiz João Marcos Guimarães Silva.

O julgamento do caso levou quatro dias. Dos cinco réus, quatro foram condenados pelo crime. Também foram condenados o ex-vereador de Amaralina (GO) Vanderlei Batista, condenado a 13 anos de prisão; o dono da arma usada no crime, João Alcides Miranda, com 17 anos e seis meses de prisão; e o ex-empregado de Nenê, João Marques, com 15 anos de prisão. Eles ainda podem recorrer em liberdade. Victor Foresti, genro do empresário, foi absolvido pelo júri popular.

A sentença também condenou Nenê Constantino a pagar multa de R$ 84 mil.

ver mais notícias