Solidariedade ainda existe, Semmasdh recolheu Celso "flanelinha drogado" da rua e conduziu para centro de reabilitação a Fazenda

O lavador de parabrisas, que na semana passada apareceu em um vídeo despejando água em um carro no cruzamento das avenidas São Jorge e Constantino Nery, na Zona Centro Sul de Manaus, vai ser internado, nesta terça-feira (16), na Fazenda Esperança para recuperação da dependência química. Conhecido apenas por “Celso”, o jovem, que é morador de rua, foi espancado um dia depois que as imagens foram divulgadas na internet. A agressão foi registrada junto com um pedido de desculpas do lavador.

Diante da repercussão, ele foi recolhido por equipes da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), ligada à prefeitura de Manaus, e conduzido ao Centro Pop, que realiza os acolhimentos de pessoas em situação de rua na capital. Ele recebeu roupas novas, cortou o cabelo e vai para a Fazenda na tarde desta terça-feira. “Celso” é dependente químico há 9 anos.

Nas redes sociais, a abordagem dividiu opiniões. Entre pessoas que elogiaram o acolhimento, vários comentários tentavam condenar “Celso”, considerando que o jovem é uma causa perdida.

Solidariedade

Entre tantas declarações, inclusive ofensivas, o caso chamou a atenção do publicitário, Arnaldo Neto. Segundo uma publicação postada em sua conta no Facebook, “Celso” faz parte do seu cotidiano e nunca o tratou mal. Neto afirma que o jovem já sofreu muito nas ruas e tem o desejo de sair do mundo das drogas.

“Sempre o encontro quando estou indo para o trabalho e, comigo, sempre foi muito acolhedor. Conheceu meu pai, meu cachorro, de vez em quando almoçava comigo na empresa”, se referindo às refeições que doava ao jovem.

Publicitário se solidarizou com Celso – Foto/Arquivo Pessoal

“Nós sofremos mazelas diariamente, com consequências até mais graves, porém acaba sendo mais fácil se revoltar contra alguém que está num nível abaixo do nosso nas relações de poder. Se enxergarmos o outro como uma pessoa, podemos transformar essas situações”, disse o publicitário.

Ele afirma já conhecer Celso há sete anos, e, mesmo com a ajuda que já oferecia esporadicamente, disse que somente percebeu que poderia fazer mais após receber o vídeo do rapaz espancado.

“Quando vi a publicação, procurei informações sobre ele. Hoje o encontrei, almoçamos e conversamos. Infelizmente, ele não se vê como alguém que pode comer e dormir de forma digna, como qualquer um de nós”, completa Neto.

“Celso” deseja mudar de vida, ele precisa apenas de uma oportunidade para transformar sua história. Outras pessoas estão se mobilizando pelo Facebook para fazer doações de roupas e calçados ao lavador.

Sobre o caso, a Semmasdh falou sobre o trabalho social e de apoio ao jovem após repercussão na mídia.

“Esse é um trabalho rotineiro na Semmasdh. Todos os dias as nossas equipes estão na rua e a abordagem social está entre as nossas tarefas essenciais, pois é por meio desse atendimento que tentamos resgatar os vínculos familiares, retirar as pessoas da situação de rua, das drogas. É importante destacar que esse trabalho não depende só da nossa vontade. É necessário que o outro queira a ajuda. Não podemos obrigar uma pessoa a sair da rua ou receber um atendimento médico. As vezes é um trabalho que demora muito tempo. Por isso, nossa equipe do Centro Pop tem um papel fundamental”, declarou o secretário da Semmasdh, Elias Emanuel.

Fazenda Esperança
Atuando há 30 anos no Brasil e com sedes em 15 países, a Fazenda Esperança é uma comunidade terapêutica voltada à recuperação de dependentes químicos, por meio da união entre convivência familiar, trabalho como processo pedagógico e a espiritualidade de doutrina Cristã.
Em Manaus, a Fazenda conta com duas unidades na BR-174, além de outras duas unidades no interior do Amazonas, localizadas em Coari e São Gabriel da Cachoeira

Reportagem do Portal EmTempo

ver mais notícias