Shoppings fantasma em Manaus, lojas vazias e pontos fechados

Shoppings com praças de alimentação vazias e tapumes no lugar de vitrines. São os shoppings “fantasmas”. Hoje, quase metade das lojas dos empreendimentos novos, inaugurados a partir de 2012, está fechada. Se considerados todos os shoppings centers em operação em Manaus, o número de unidades vagas chega a um absurdo. Além do shopping as ruas como Vieiralves e centro comercial de Manaus é uma tristeza de ver. NINGUÉM COMPRANDO. 

Shopping Ponta Negra virou o maior shopping fantasma de Manaus, somente os cinemas ficam lotados. Lojas fechadas e outras que nunca foram abertas ( ainda com tapume), prejuízo para quem investiu e mantém ainda loja aberta, mesmo sem clientes. 

Investimento de milhões de reais, o que era para ser o Shopping dos ricos, virou um shopping fantasma.

Nos outros estados a parcela de lojas vagas nos shoppings brasileiros, revelada por um estudo feito pelo Ibope Inteligência em parceria com a Associação dos Lojistas de Shoppings (Alshop), atingiu neste ano níveis recordes e já faz empreendedores reduzirem o aluguel e até deixarem de cobrar a locação para segurar o lojista. Nos shoppings consolidados e abertos até 2012, a vacância é de 9,1%, o dobro da média histórica. Nos shoppings novos, a ociosidade chega a 45%.

A combinação de dois fatores gerou essa situação: o fim da década de ouro do varejo e a construção desenfreada de novos empreendimentos. “Mesmo se a economia não tivesse entrado em parafuso, nós teríamos shoppings com problema de vacância”

Fábio Caldas, do Ibope, um dos responsáveis pelo estudo. Só entre 2000 e 2015, segundo ele, foram inaugurados 259 shoppings. Muitos foram desenvolvidos por empreendedores que não eram do setor, atraídos pelo desempenho espetacular do varejo. Entre 2004 e 2013, o volume de vendas do comércio varejista, sem contar veículos e materiais de construção, cresceu 7,5% ao ano, segundo o IBGE. Em 2014 e 2015, o avanço foi bem menor: 2,2% e 3%, respectivamente.

No contexto de euforia do consumo, o negócio de shoppings parecia muito bom. “Mas, quando as obras foram concluídas, a oferta se revelou maior do que a demanda e os lojistas começaram a escolher para onde ir. Optaram pelos melhores projetos e alguns ficaram vazios”, explica Caldas.

Eu pergunto o que acontecerá com os ” Elefantes Branco”?

ver mais notícias