Prefeitura lança campanha contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Prefeitura lança campanha contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Manaus – 17-05-2017
Vice prefeito Marcos Rotta – Campanha de enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes.
Foto:Marcio James / Semcom
Manaus – 17-05-2017
Vice prefeito Marcos Rotta – Campanha de enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes.
Foto:Marcio James / Semcom

 A Prefeitura de Manaus realizou na tarde desta quarta-feira, 17/05, a solenidade de abertura da Semana Municipal de Enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, no Parque Cidade da Criança, na rua Castro Alves, 100, Aleixo.

A campanha, organizada pela Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), recebe apoio das secretarias municipais de Saúde (Semsa) e Educação (Semed), e tem o objetivo de sensibilizar, prevenir, resgatar e promover os direitos violados, decorrentes da exploração e da violência sexual contra a criança e o adolescente.

Servidores dos diferentes departamentos da Semmasdh, Conselheiros Tutelares e representantes do governo do Estado participaram da solenidade que contou com personagens do Parque e da Banda Di Bubuia que cantou canções infantis.

Para o vice-prefeito Marcos Rotta, é preciso fomentar as políticas públicas para enfrentar à exploração sexual. “A orientação do prefeito Arthur Neto é colocar toda a estrutura possível da prefeitura pra reduzir esses índices que realmente são alarmantes. Nós temos percebido cada vez mais, a presença dos conselhos tutelares, governo federal, estadual e municipal, mas penso que devemos fazer um conclame a sociedade para nos ajudar também, pois não podemos, de maneira alguma, perder as nossas crianças e adolescentes para os abusos e violência”, declarou Marcos Rotta.

Durante todo o mês de maio, as ações de enfrentamento serão intensificadas em diversos equipamentos setoriais da Prefeitura de Manaus nas áreas da saúde, assistência social e educação, além da sensibilização e promoção dos direitos violados, por meio de peças publicitárias que levam informações sobre os canais de denúncia.

Programação

Para esclarecer a população sobre o tema, palestras e oficinas sobre: o que é violência sexual, exploração sexual e como funciona a rede de proteção de crianças e adolescentes serão realizadas nos cinco Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), e nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) Alvorada III e Compensa II, além do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM).

Desde o primeiro trimestre deste ano, escolas da rede pública de ensino receberam diversas ações que serão intensificadas até o final deste mês, em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, comemorado nesta quinta-feira, 18/05, quando será realizada uma caminhada alusiva a data, com concentração na Rotatória do Produtor, na zona Leste.

“Toda a secretaria está mobilizada em torno dessa discussão. É uma temática que não podemos deixar adormecer e achar que ela está fora de foco. Portanto nós precisamos fomentar a discussão e movimentar, não somente a assistência social, mas também a educação, porque, nós precisamos alertar a população”, destacou o secretário da Semmasdh, Elias Emanuel. 

Dados

De janeiro à primeira quinzena de maio de 2017, o Disque Direitos Humanos do município recebeu oito denúncias de abuso sexual e uma de exploração sexual, sendo ambas direitos violados de crianças e adolescentes.

De acordo com dados do Sistema de Registro Mensal de Atendimentos (SNAS), dos Creas, onde crianças e adolescentes em situações de violência ou violações ingressam no Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (Paefi), foram registrados no mesmo período 29 casos de abuso sexual e 6 de exploração sexual, sendo 90% envolvendo meninas de 13 a 17 anos.

 

Canais de Denúncia

 

A rede de proteção possui três canais de comunicação para quem sofrer ou conhecer qualquer situação de violação de direitos: Disque Direitos Humanos 0800 092 6644, Disque Denúncia 0900 092 1407, Disque Direitos Humanos Nacional 100.

 

Texto: Alexsandro Machado

Fotos: Márcio James

ver mais notícias