Prefeito de Tabatinga perde eleição e por vingança demite mais de 500 servidores

As mais de quinhentas demissões de servidores contratados pela prefeitura de Tabatinga, no Amazonas, tiveram reflexo nas escolas municipais da cidade. Sem esses trabalhadores, as atividades de arquivamento de documentação de alunos e limpeza das salas de aula, banheiros e cozinhas ficaram comprometidos.Raimundo Carvalho Caldas, demitiu cerca de 600 pessoas, um dia após as eleições. Seu candidato e atual vice prefeito Carlos Donizetti, não conseguiu se eleger, ficando em segundo lugar, perdendo por quase 4 mil votos. Revoltado o prefeito que não foi reeleito resolveu demitir mais de 500 taralhadores, prejudicando famílias inteiras em Tabatinga.

O Vereador Hilal Hajar Hayssan, entrou com o pedido de intervenção na câmara de Tabatinga para apurar os motivos da atitude do prefeito.

92635230-5891-4022-b6c3-ba95f5f7acdf

e1518bfd-ee4b-4e1b-b6ea-28e08a78fc2a

Do total de demitidos, 303 eram da área de serventes e serviços gerais; 297 são professores e cuidadores pedagógicos; 30 professores efetivos, que trabalhavam em mais de um turno, e foram exonerados de um período.

05ea8b15-900f-4516-b353-3d564ec99e73 d2139f54-88cc-423d-8bb5-d343de2c3f7b 7700f12c-5809-4969-9c5d-e9da878b48b7 439f6964-4c63-47ec-a22b-1fad75e2cbb1 db6404ae-3e84-45f6-95cc-cc2c7600d7a8 51e523d2-e150-4c36-b18d-1aac7ddcc177 e646185a-d163-42d0-880e-b972161b9aaa 1058be50-44cb-4a99-a264-4a948d380a82 092ddf9d-1e89-4f53-aa97-8d82302bdecc 5a139e8b-c65e-4c25-94f8-dfcccb901071

Matéria  Do Portal Amazonas Atual de 9 DE MAIO DE 2016 – Prefeito com sérios probleamas
O MPF (Ministério Público Federal) denunciou o prefeito do município de Tabatinga (a 1.108 quilômetros de Manaus), Raimundo Carvalho Caldas, o “Calango”, por crime de responsabilidade fruto de reiteradas solicitações para a entrega de dados técnicos sobre a desocupação de terras da Caixa Econômica Federal destinadas à construção de casas populares do Programa “Minha Casa, Minha Vida”, do governo federal.
De acordo com o processo, foi firmado TAC (Termo de Compromisso e Ajustamento de Conduta) entre o MPF, a empresa responsável pelas obras e a prefeitura de Tabatinga, no qual o município se comprometeu em fazer o levantamento da situação dos moradores e produtores da área desocupada.
Para verificar o cumprimento do TAC, a Procuradoria da República no município de Tabatinga requisitou ao prefeito a entrega de dados técnicos sobre a atual situação da obra, com envio de relatório fotográfico confirmatório. Três requisições foram enviadas ao prefeito, mas o denunciado não atendeu aos pedidos do MPF. Foi requerida notificação judicial para certificar o recebimento dos ofícios. Caldas reconheceu, em suas declarações, ter recebido os documentos, confirmando como sua a assinatura no mandato de intimação judicial.
Segundo o procurador regional da República Alexandre Espinosa, responsável pela denúncia, é evidente que o prefeito “voluntária e conscientemente, omitiu-se em fornecer ao Ministério Público Federal, no prazo fixado e sem qualquer justificativa, dados técnicos requisitados indispensáveis à propositura de ação civil pública, incorrendo nas sanções do artigo 10 da Lei nº 7.347/85”.

A denúncia aguarda recebimento pelo Tribunal Regional da 1ª Região, em Brasília. Se condenado, o prefeito poderá ser condenado a pena de reclusão de um a três anos mais multa.

Em outra Matéria o Sobrinho do prefeito envolvido com drogas

italo-tabatinga

 

ver mais notícias