Festa de Parintins sem segurança

O governador José Melo (Pros) que perdeu em 2014 a eleição no primeiro e segundo turno em Parintins usando como desculpa a crise econômica resolveu mesmo cortar tudo do Festival Folclórico de Parintins, que acontece nos dias 24, 25 e 26 deste mês. Ele não cortou apenas as verbas para os bois Garantido e Caprichoso, Melo, através de seu eterno secretário de Cultura, o “Reizinho” Robério Braga, bateu ontem (15) o martelo e resolveu mandar a Ilha Tupinambarana apenas 200 policiais militares para atender a festa considerada um dos mais importantes eventos do folclore brasileiro deixando assim a segurança comprometida.

“Eu penso que a segurança tem um fator decisivo na realização do Festival Folclórico”, disse o prefeito Alexandre das Carbrás, afirmando que a festa leva milhares de visitantes para a cidade, que esse ano estará com sua segurança comprometida.

Em 2014 quando era candidato a reeleição José Melo, mandou para o festival cerca de 1200 homens para garantir a segurança do evento, entre policiais civis, militares, bombeiros e agentes do Departamento Estadual de Trânsito, um aparato de 30 viaturas, 20 motocicletas, uma lancha, helicóptero equipado com aparelhos de captação de imagens de última geração, além de cães farejadores, mas agora serão apenas 200.

Quem também mostrou sua preocupação com a segurança do festival deste ano foi o promotor de justiça André Seffair. “Se comparamos os números anteriores, eu não fico confortável, mas a decisão do coronel Dan Câmara, é técnica, de que haverá segurança. Esperamos que Parintins possa realizar o festival com a segurança necessária”, afirmou Seffair. Outras ações vão contribuir para minimizar os riscos durante o evento, como a abertura dos portões do Bumbódromo somente a partir das 15h, o cancelamento da Festa dos Visitantes e a não realização dos ensaios técnicos dos bumbás Caprichoso e Garantido.

Para o prefeito Alexandre da Carbrás, somente com união e o comprometimento de todos será possível realizar esta edição, mas lembrou que o município não tem condições de arcar com demais custos sozinho. “A mesma crise que se abate no Brasil, no Governo do Estado do Amazonas, que tem máquinas maiores, maior aporte de recursos, também abate a Prefeitura de Parintins e não poderemos assumir os diversos custos extras que surgem durante o festival”, afirma Alexandre.

Informações Fato Amazônico http://www.fatoamazonico.com/site/noticia/governo-do-estado-resolve-encaminhar-para-festival-de-parintins-apenas-200-policiais-e-deixa-seguranca-comprometida/

 

ver mais notícias