CM7

     
 
 
Manaus, 18 de outubro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Últimas Notícias / Cidades / Cesta básica mais barata em Manaus

Cesta básica mais barata em Manaus

Da redação | 11/04/2016 22:08

A capital amazonense registrou a maior queda no valor da cesta básica, chegando a ficar 12,87% mais barata em relação ao mês anterior, que havia fechado em R$ 437,86. Com a inclinação, no mês de março, o valor da cesta em Manaus fechou em R$ 381,52, e a cidade passou a ocupar a 14ª colocação no ranking de cestas básicas mais caras entre as 27 capitais brasileiras, segundo levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Apenas 11 capitais apresentaram queda. Seguido de Manaus, ficou Boa Vista, com o segundo maior declínio (-7,05%), Aracajú (-3,53), Macapá (-3,45%) e João Pessoa (-2,43%). Na casa de 1% ou inferior a essa porcentagem, está Rio Branco (-1,88), Natal (1,75%), Porto Velho (-1,50%), Maceió (-1,39), Recife (-0,79) e Fortaleza (-0,34). As três capitais que lideram o ranking das cestas básicas mais caras, são Brasília (R$ 444,74), São Paulo, (R$ 444,11) e Florianópolis (R$ 441,06).

Produtos

Dos doze produtos básicos que compõem a cesta básica, nove apresentaram alta – farinha (9,48%), açúcar (9,38%), óleo (6,58%), feijão (5,76%), manteiga (4,56%), arroz (2,94%), carne (2,65%), café (2,14%) e leite (0,93%). Segundo o Dieese, o motivo da farinha de mandioca estar liderando a alta, é a oferta do produto, que ainda não conseguiu se recuperar da longa estiagem que houve nas regiões do norte do país. No acumulado do ano, a variação foi de (28,30%).

O quilo do açúcar continuou em alta e aumentou em 23 capitais, com taxas que variaram entre 0,86% em Belém e 9,38% em Manaus. Em período de entressafra da cana e com parte da produção destinada ao etanol, houve elevação do preço do açúcar no varejo. É o produto que acumula maior alta nos três primeiros meses do ano na capital amazonense (33,33%).

Entre os produtos que apresentaram queda no valor no mês de março, está o tomate (-45,47%), seguido da banana (-10,16%) e do pão (-0,52%). “A redução no valor do tomate nós percebemos, assim como na banana, mas é difícil a gente prever. O clima está driblando a gente, e até os nossos fornecedores nós temos que mudar para ter o produto para vender”, destacou o feirante Carlos Alberto Chagas.

Salário Líquido

Em relação ao comprometimento da cesta básica com o rendimento líquido do trabalhador, foi identificado que em março, chegou a 47,12% do salário do proletário. Após o desconto de 8% referente à contribuição previdenciária, o valor é de R$ 809,60, na aquisição dos produtos que compõem a cesta básica. Em fevereiro, o comprometimento foi de 54,08%.

Produtos que compõem a cesta básica

Carne bovina, café, arroz, leite, feijão, farinha de mandioca, manteiga, pão francês, óleo de soja, açúcar, tomate, banana.

Fonte: Portal A Crítica

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA