CM7

 
Manaus, 24 de outubro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Últimas Notícias / Cidades / Após ser acusado de assédio moral, o presidente da CMM Wilker Barreto pede desculpas a Joana D’Arc

Após ser acusado de assédio moral, o presidente da CMM Wilker Barreto pede desculpas a Joana D’Arc

Da redação | 06/06/2017 12:44

O presidente da Câmara Municipal de Manaus, que impediu a vereadora de se posicionar na semana passada, reconheceu que foi descortês com ela, mas que quis fazer cumprir o regimento. Ele afirmou que o clima já estava exaltado e que a atitude faz parte do parlamento.

A retratação de Wilker ocorreu no final da sessão de ontem (5), uma semana após ele impedir a manifestação da vereadora, durante uma sessão que discutia a possível instalação de uma CPI na Manaus Ambiental. Durante a ocasião, a vereadora afirmou que iria prestar queixa contra o presidente da CMM por assédio moral e psicológico.

Wilker pediu que a Comissão de Ética da CMM apurasse a conduta dele, e o requerimento foi discutido ontem. 32 vereadores dos 35 presentes aprovaram o documento de investigação da Comissão de Ética. Apenas os parlamentares Chico Preto (PR), Plínio Valério (PSDB) e William Abreu (PR) votaram contra o requerimento.

“Nunca cerceei o exercício de um mandato de um parlamentar. Já participei de debates acirrados aqui. Se tem uma coisa que eu prezo é o direito do exercício sagrado do mandato desta casa. Assédio e cerceamento do mandato, isso eu nunca pratiquei, por isso peço que a Comissão de Ética investigue os meus atos na condução de todas as sessões deste ano”, afirmou Wilker.

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA