Vamos cumprir a Constituição, diz presidente interino da Câmara

BRASÍLIA – Presidente interino da Câmara até o julgamento do processo do presidente afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado Waldir Maranhão (PP-MA), deixou a Câmara dos Deputados pouco antes das 13h desta quinta-feira e não informou se iria ao encontro de Cunha, que está na residência oficial. Em rápida conversa com a imprensa, Maranhão afirmou que vai respeitar a Constituição e que o momento é de “serenidade”.

— Queria deixar uma palavra de serenidade. A Constituição baliza nossas atitudes. Vamos cumprir a Constituição, trabalhar pela Casa e pelo Brasil — disse Maranhão.

O deputado não informou para onde iria e nem quando voltará á Casa. Ele resistiu em atender a imprensa. No entanto, teve que esperar o carro oficial, na entrada da Câmara, onde deu uma rápida declaração. Mais cedo, Maranhão entrou de repente no plenário e encerrou a sessão desta quinta-feira. Ao sair do plenário, Maranhão foi direto ao gabinete da presidência da Câmara, e, na sequência, seguiu para o gabinete da vice-presidência. A sessão interrompida será retomada à tarde, para debates.

Pela manhã, Waldir Maranhão entrou de repente no plenário e encerrou a sessão desta quinta-feira, convocando outra para amanhã cedo. Na passagem relâmpago pelo plenário, ele não justificou porque estava encerrando a sessão, quando vários deputados se revesavam no microfone para comemorar o afastamento de Cunha pelo STF. Revoltada, a deputada Luisa Erundina (Psol-SP) assumiu a cadeira da presidência e deu sequência à sessão, mas Maranhão mandou desligar as transmissões da TV Câmara.

ver mais notícias