Temer prega 'fraternidade' entre iniciativa privada e trabalhadores em prol do crescimento

ORTIGUEIRA (PR). O presidente interino Michel Temer disse no início da tarde desta terça-feira que o país necessita neste momento que haja “fraternidade” entre a iniciativa privada e trabalhadores para que volte a crescer.

Ele considerou exemplo da prática a construção da nova fábrica da Klabin, gigante do setor de papéis e embalagens, inaugurada nesta terça em Ortigueira, no interior do Paraná, com sua presença. A iniciativa envolveu aproximadamente 40 mil colaboradores.

– Essa é a fraternidade que estamos precisando para nosso país. Estou há pouquíssimo tempo à frente do governo e, na verdade, estamos pregando uma espécie de pacificação nacional, um movimento de reunificar o pensamento nacional e fazermos com que todos se empenhem pelo crescimento – afirmou.

A nova fábrica da Klabin envolve um investimento total de aproximadamente R$ 8,5 bilhões, dos quais pelo menos R$ 3,4 bilhões são oriundos definanciamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes).

Ao ser perguntado sobre como seria possível repetir o exemplo da Klabin depois da decisão do governo federal, sob sua gestão, de retirar R$ 100 bilhões do BNDES, o presidente interino disse não ver dificuldades:

– Ainda sobram R$ 400 bilhões para o BNDES. O segundo ponto é que esses R$ 100 bilhões vão ser tirados pouco a pouco. A presidente Maria Silva (Basto Marques, do BNDES) não vê qualquer problema em relação a isso – afirmou.

Temer deixou de comentar o relatório da perícia do Senado que não identificou crime de sua antecessora Dilma Rousseff em pedaladas fiscais, mas na edição de decretos sem autorização do Congresso.

– Esta é uma decisão do Senado. Tenho dito reiteradamente que estou estou aguardando uma decisão do Senado Federal, que saberá fazer uma avaliação definitiva sobre este tema – afirmou.

AGENDA POSITIVA

Desde o início do governo temporário, há 45 dias, Temer vem enfrentando dificuldades para tocar a administração, por conta de denúncias que envolvem aliados e o primeiro escalão escolhido por ele para tocar o novo governo. A agenda em Ortigueira foi escolhida para sinalizar a disposição em fazer o país retomar o crescimento.

No início de seu discurso, o presidente interino convidou os presentes a fecharem os olhos e mentalizarem o animal puma.

– Na minha mente, o puma sempre aparece como um animal em movimento, que vai dar um grande salto. E com isso os senhores da Klabin estão dando um grande salto em prol do desenvolvimento do nosso país – disse, mencionando o nome da nova unidade da empresa, que leva o nome do animal.

O presidente interino repetiu mais de uma vez que “é a iniciativa privada quem ajuda o país a crescer” e pediu aos convidados que “transmitam e retransmitam, a todos os cantos e recantos” as palavras da inauguração em Ortigueira.

– Se nós pudermos transmitir uma espécie cinematográfica de visualização deste grande empreendimento para todo país, podemos dizer que o Brasil não é o Brasil do futuro, é um país do presente e que cresce neste momento – afirmou.

Sem citar o nome de Dilma Rousseff, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), também presente no ato, criticou a presidente afastada, alegando ter recebido tratamento “discriminatório” do governo federal durante a gestão anterior à de Michel Temer.

– Nesse curto espaço de tempo em que exerce a Presidência, (Temer) tem dado atenção muito especial ao nosso estado. Já estive em audiência com ele duas vezes. Nos últimos tempos, é o melhor atendimento que temos recebido do governo federal – disse Richa.

NOVA FÁBRICA

A nova fábrica da Klabin terá capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano e ocupa uma área equivalente a 200 campos de futebol. A unidade produzirá um tipo de celulose usado em fraudas e absorventes que, atualmente, tem sido importado em grande quantidade. Deverá gerar 1,6 mil empregos para a região.

Também estavam presentes na cerimônia desta terça os ministros da Saúde, Ricardo Barros (PP), e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcos Pereira (PRB), além de deputadores federais e os acionistas controladores da empresa.

Historicamente ligada a quadros do PSDB, a Klabin recebeu nos últimos 15 anos R$ 7,7 bilhões em financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes), a maior parte a partir de 2011, durante o governo da presidente afastada Dilma Rousseff (R$ 5,1 bilhões).

Nas últimas duas eleições majoritárias (2010 e 2014), o PSDB foi o partido que mais recebeu doações legais da Klabin: R$ 3 milhões. Em segundo lugar ficou o PMDB (R$ 1,3 milhões), em terceiro o DEM (R$ 660 mil) e, em quarto, o PT (R$ 600 mil).

ver mais notícias