Temer dá tempo para ministro do Planejamento se explicar sobre grampo

BRASÍLIA – O presidente interino Michel Temer conversou com o ministro Romero Jucá (Planejamento) na manhã desta segunda-feira e deu a ele prazo para se explicar sobre o áudio em que conversa com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

Em reunião no Palácio do Jaburu, Jucá disse a Temer que tem condições de contradizer todas as afirmações do grampo.

— A única coisa que eu quero é a oportunidade de me explicar — pediu Jucá ao presidente, segundo relato de um integrante do governo que participou da conversa.

Temer então respondeu que por respeito a ele, daria um tempo, mas não definiu prazo e nem antecipou eventual desdobramento, caso as explicações à opinião pública não sejam satisfatórias.

Mais cedo, os peemedebistas discutiram a possibilidade de fazer uma “dança das cadeiras”, no caso da saída de Jucá. O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) ou o ex-ministro Moreira Franco, atualmente assessor especial da Presidência, poderiam ser remanejados.

No entanto, com a decisão de Temer em deixar Jucá se explicar, congelou, por ora, essa negociação.

O ministro do Planejamento Romero disse estar “tranquilo” e descartou pedir demissão do cargo por conta do teor das gravações em que conversa . Nos diálogos gravados, o ministro sugeriu que uma “mudança” no governo resultaria em um pacto para “estancar a sangria” atribuída à operação Lava-Jato.

Os peemedebistas se reuniram cedo no Jaburu. Jucá esteve na residência oficial e já conversou com Temer.

Desde que o senador foi nomeado ministro, já era ventilada a possibilidade de ele ser o primeiro alvo da Lava-Jato dentro do novo governo.

ver mais notícias