SP tem mais um protesto contra Michel Temer

SÃO PAULO — Um novo protesto contra o governo do presidente Michel Temer acontece na tarde deste domingo em São Paulo. Desde às 14h, manifestantes se reúnem ao lado de um carro de som no Largo da Batata, em Pinheiros, e prometem caminhar até a casa de Temer. O presidente interino deixou sua casa em São Paulo pouco antes das 15h, e se dirige a Brasília.

Grande parte das pessoas no Largo da Batata está de vermelho, munidas de apitos e bandeiras da CUT. O ato é organizado pela Frente Povo sem Medo, que reúne MTST, movimentos estudantis como o Juntos!, ligado ao PSOL, União da Juventude Socialista, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), ligados ao PCdoB.

Desde cedo, a Polícia Militar fechou os acessos à residência do presidente, no bairro Alto de Pinheiros, que fica em frente a uma praça. Apenas moradores conseguem ultrapassar as barreiras, localizadas a 300 metros de distância da casa de Temer.

O ato de hoje, que leva o tema “Temer jamais! Resistir nas ruas por direitos” foi convocado pelas redes sociais.

Na página do Facebook, o grupo organizador diz que “Michel Temer quer passar a figura de pacificador do país”. E acrescenta que não aceitará “um presidente ilegítimo fruto de um golpe! Não aceitaremos uma Ponte para o Passado que pretende retirar direitos trabalhistas, ampliar a privatização e cortar programas sociais”.

TRÊS PROTESTOS NA ÚLTIMA SEMANA

O governo Temer foi alvo de três protestos na capital paulista na última semana em São Paulo. O primeiro ato ocorreu no domingo passado e saiu da avenida Paulista. Na terça-feira ocorreu o segundo protesto, manifestantes foram à Funarte criticar a extinção do Ministério da Cultura. Na sexta-feira, o terceiro protesto foi organizado por movimentos de esquerda.

Manifestantes também foram às ruas neste domingo em Brasília e no Rio. No centro da capital fluminense, cerca de 500 pessoas foram em passeada da Candelária até o Palácio Gustavo Capanema, sede do Ministério da Educação no Rio que está ocupado desde segunda-feira.

Em Brasília, um grupo de cerca de cem manifestantes fez neste domingo um ato contra barreira instalada perto do Palácio do Jaburu, em Brasília, que estaria pedindo a identificação de todas as pessoas que visitam o Palácio da Alvorada. A denúncia foi feita pelo senador Jorge Vianna (PT-AC) no Senado na quinta-feira. Segundo ele, antes de seguir para a residência oficial da presidente afastada, Dilma Rousseff, os visitantes são obrigados a se identificar e esperar por uma autorização do Palácio do Jaburu para passar.

ver mais notícias