Samarco é multada em R$ 143 milhões por danos a unidades de conservação

RIO — O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) informou, nesta sexta-feira, que autuou e multou a mineradora Samarco por causar impacto a três unidades de conservações federais no Espírito Santo. As multas aplicadas totalizam R$ 143,05 milhões.

Após o rompimento da barragem do Fundão em Mariana, Minas Gerais, em 5 novembro de 2015, os rejeitos de mineração foram levados pelo Rio Doce e chegaram ao litoral do Espírito Santo no dia 21 de novembro. Durante o percurso, eles afetaram, segundo o ICMBio, a Área de Proteção Ambiental (APA) Costa das Algas, o Refúgio de Vida Silvestre (RVS) de Santa Cruz e a zona de amortecimento da Reserva Biológica (Rebio) de Comboios.

Em nota, a Samarco confirmou que recebeu os três autos de infração nesta sexta-feira e estuda apresentar defesa junto ao ICMBio.

“A empresa reforça que a mitigação dos impactos decorrentes do acidente com a barragem de Fundão está prevista no Acordo assinado pela empresa, seus acionistas, e os governos federal, de Minas e do Espírito, do qual o ICMBio também é signatário”, diz o texto divulgado pela empresa.

ver mais notícias