PT nos estados chama protestos pró-governo

SÃO PAULO — Apesar da orientação do comando nacional de evitar protestos no próximo domingo para que não ocorram conflitos, petistas pretendem ir às ruas para defender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no mesmo dia em que grupos a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff programam as suas manifestações. Dois diretórios estaduais da legenda têm até convocado para atos no mesmo dia.

Na última sexta-feira, logo após a operação da Polícia Federal contra Lula, dirigentes do partido consideraram a possibilidade de convocar protestos para o domingo, mas a ideia foi rechaçada, em seguida, após apelo do próprio governo federal. A avaliação é que em caso de conflitos entre os dois grupos o desgaste para a presidente Dilma Rousseff seria maior porque passaria a sensação de que há risco de o país entrar em convulsão social.

O PT, ao lado de movimentos como a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o Movimento dos Sem Terra (MST), programa atos pelo país em defesa de Lula no dia 18. Apesar da orientação de mobilizar para o dia 18, o comando petista não repreenderá os diretórios estaduais que estão convocando para manifestações no domingo.

A página do PT do Rio Grande do Sul traz em destaque a convocação para o ato do dia 13 sob o título: “Não vai ter golpe”. A manifestação está programada para acontecer no Parque da Redenção, em Porto Alegre, às 14. O protesto dos grupos a favor do impeachment está marcado para as 15h, no Parcão, a 2,5 quilômetros de distância.

— Vamos estar na rua para dialogar com a população. Queremos ser um contraponto aos atos pelo impeachment. Não vamos fazer nenhum tipo de confronto. A Redenção é longe do Parcão. Não vamos caminhar em direção a eles — disse Ary Vanazzi, presidente do PT no Rio Grande do Sul.

No Distrito Federal, o PT está convocando para um ato às 8h. Os movimentos contra o governo, vão se reunir a partir das 9h, na frente da Biblioteca Nacional, a cerca de dois quilômetros.

Em São Paulo, o comando do partido não está convocando para manifestação no domingo. Mas grupos de petistas se articulam para participar de um ato organizado por produtores culturais na Praça Roosevelt batizado “Sem Medo de Ser Feliz”, slogan da campanha de 1989 de Lula. A praça fica a dois quilômetros da Avenida Paulista, onde os grupos contra o governo irão protestar. O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Alexandre de Moraes, anunciou que a PM formará bolsões para evitar que os grupos se encontrem.

ver mais notícias