PT chama ação em sede de ‘tentativa renovada de criminalizar’ o partido

SÃO PAULO – A Executiva Nacional do PT divulgou uma nota na tarde desta quinta-feira condenando a realização de busca e apreensão na sede do partido em São Paulo como parte das investigações da Operação Custo Brasil.

Os dirigentes classificaram a ação como “desnecessária e midiática” e “uma tentativa renovada de criminalizar o PT”.

“Em meio à sucessão de fatos e denúncias envolvendo políticos e empresários acusados de corrupção, monta-se uma operação diversionista na tentativa renovada de criminalizar o PT”, diz o comunicado.

A sigla pediu ainda que sejam assegurados os direitos de ampla defesa e o princípio de presunção da inocência ao ex-ministro Paulo Bernardo, filiado ao partido, e preso preventivamente na operação.

Por fim, o partido encerra a nota dizendo que não tem nada a esconder e está à disposição das autoridades para esclarecimentos.

O advogado do PT, Luís José Bueno de Aguiar, afirmou não ver razão para a realização de busca e apreensão no diretório nacional do partido, realizada nesta quinta-feira como parte da Operação Custo Brasil, e classificou a ação como uma tentativa de “desviar o foco de outras coisas”.

Questionado sobre qual seria esse desvio de foco, ele respondeu:

– De investigações óbvias que estão sendo feitas de conhecimento do país inteiro e que não envolvem o PT. Não há que mencionar nenhuma, são todas de conhecimento público.

Bueno de Aguiar acompanhou durante todo o tempo as buscas realizadas na sede do partido nesta manhã. Ele disse não ver razão para a realização da ação, já que todos os documentos recolhidos existem oficialmente, e, segundo ele, poderiam ter sido obtidos de outra forma.

– Não vejo razão para essa mídia, o pessoal armado até os dentes. Acho que faz parte do espetáculo midiático.

A busca se limitou à parte contábil do partido. A sala do presidente da sigla, Rui Falcão, não foi acessada pelos agentes. Foram recolhidos documentos e quatro computadores.

O advogado disse que são dois inquéritos policiais de 2015 e um processo da 6ª Vara de São Paulo deste ano e que está tentando ter acesso aos autos para saber do que se tratam.

Leia abaixo a nota na íntegra:

O Partido dos Trabalhadores condena a desnecessária, midiática, busca e apreensão realizada na sede nacional de São Paulo.

Em meio à sucessão de fatos e denúncias envolvendo políticos e empresários acusados de corrupção, monta-se uma operação diversionista na tentativa renovada de criminalizar o PT.

A respeito das acusações assacadas contra filiados do partido, é preciso que lhes sejam assegurados o amplo direito de defesa e o princípio da presunção de inocência.

O PT, que nada tem a esconder, sempre esteve e está à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos.

ver mais notícias