Protesto contra Dilma e Lula continua na Avenida Paulista

SÃO PAULO – Manifestantes continuam na Avenida Paulista, nesta quinta-feira, em protesto contra a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro da Casa Civil e também contra a presidente Dilma Rousseff. A via está bloqueada, nos dois sentidos, entre a Alameda Campinas e a Alameda Casa Branca, em frente à sede da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

O protesto na Paulista começou na noite de quarta-feira e reuniu 5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar. Um grupo de cerca de 100 pessoas ocupa a via em frente a sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. Eles gritam palavras de ordem contra o líder petista, pedem a saída da presidente Dilma Rousseff e apoio ao juiz Sérgio Moro.

A Polícia Militar está presente no local e negocia com os manifestantes a liberação de uma faixa para a passagem de ônibus.

Houve bate-boca entre os manifestantes quando começaram os gritos de intervenção militar. A aposentada Maria Eugênia de Assis, de 70 anos, reagiu contra o pedido.

– Eu vivi a ditadura militar e sei bem o que é isso. Eu quero democracia, liberdade e justiça – disse emocionada.

Um outro manifestante que se identificou apenas como “Bronze” passou a madrugada toda protestando na avenida.

– Nós vamos tirar cada um que estiver lá começando pela rainha – disse, referindo-se a presidente Dilma.

ver mais notícias