CM7

     
 
 
Manaus, 18 de outubro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Últimas Notícias / Brasil / Presidente do PRB minimiza desgaste de eventual voto pró-Cunha de Tia Eron

Presidente do PRB minimiza desgaste de eventual voto pró-Cunha de Tia Eron

Da redação | 09/06/2016 17:00

RIO — Presidente licenciado do PRB, o ministro Marcos Pereira (Desenvolvimento) minimizou, nesta quinta-feira, o impacto, nas campanhas municipais do partido, de eventual voto da deputada Tia Eron (PRB-BA), no Conselho de Ética da Câmara, a favor do presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

— Temos que deixar a deputada avaliar, ela que está compondo o Conselho de Ética, ela que tem participado das discussões. Os pré-candidatos devem se dedicar às eleições locais, a temas locais, mobilidade urbana, saúde, educação, temas atinentes às cidades — disse o ministro, ao chegar para solenidade de posse de servidores do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Os pré-candidatos do PRB às prefeituras do Rio, Marcelo Crivella, e de São Paulo, Celso Russomano, temem o desgaste de eventual voto pró-Cunha.

Pereira negou que vá orientar o voto de Tia Eron, que será decisivo no Conselho de Ética:

— A deputada Tia Eron tem toda a liberdade para votar com a consciência dela. Hoje eu sou presidente licenciado do partido, o senador Eduardo Lopes é o presidente em exercício. Nem ele nem eu iremos interferir no voto da deputada Tia Eron.

O presidente licenciado do PRB negou ainda ter tratado desse assunto em reunião com o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil), na última segunda-feira. Segundo Pereira, a audiência foi pedida por ele para tratar de assuntos de sua pasta.

O ministro disse não saber como Tia Eron votará:

— Eu não sei se ela vai votar contra ou a favor, não conversei com ela sobre o assunto. Também não sei por que ela não apareceu (na sessão do conselho). Fiquei surpreso também.

Na porta do INPI, dois homens seguravam uma faixa “Fora Temer”.

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA