Presidente do PRB minimiza desgaste de eventual voto pró-Cunha de Tia Eron

RIO — Presidente licenciado do PRB, o ministro Marcos Pereira (Desenvolvimento) minimizou, nesta quinta-feira, o impacto, nas campanhas municipais do partido, de eventual voto da deputada Tia Eron (PRB-BA), no Conselho de Ética da Câmara, a favor do presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

— Temos que deixar a deputada avaliar, ela que está compondo o Conselho de Ética, ela que tem participado das discussões. Os pré-candidatos devem se dedicar às eleições locais, a temas locais, mobilidade urbana, saúde, educação, temas atinentes às cidades — disse o ministro, ao chegar para solenidade de posse de servidores do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Os pré-candidatos do PRB às prefeituras do Rio, Marcelo Crivella, e de São Paulo, Celso Russomano, temem o desgaste de eventual voto pró-Cunha.

Pereira negou que vá orientar o voto de Tia Eron, que será decisivo no Conselho de Ética:

— A deputada Tia Eron tem toda a liberdade para votar com a consciência dela. Hoje eu sou presidente licenciado do partido, o senador Eduardo Lopes é o presidente em exercício. Nem ele nem eu iremos interferir no voto da deputada Tia Eron.

O presidente licenciado do PRB negou ainda ter tratado desse assunto em reunião com o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil), na última segunda-feira. Segundo Pereira, a audiência foi pedida por ele para tratar de assuntos de sua pasta.

O ministro disse não saber como Tia Eron votará:

— Eu não sei se ela vai votar contra ou a favor, não conversei com ela sobre o assunto. Também não sei por que ela não apareceu (na sessão do conselho). Fiquei surpreso também.

Na porta do INPI, dois homens seguravam uma faixa “Fora Temer”.

ver mais notícias