Presidente da OAB diz que Constituição não exclui ninguém de ser investigado

BRASÍLIA – O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, disse nesta sexta-feira que não poderia fazer juízo de valor sobre eventuais ilegalidades na Operação Aletheia, uma vez que não tinha conhecimentos suficientes para isso. Mas disse que está estarrecido com os fatos e que não ver problemas em Lula ser conduzido coercitivamente para depor.

— Eu posso dizer que estou, seguramente como todos os brasileiros, também estarrecido com esse fato que hoje nós estamos vivenciando — disse Lamachia, acrescentando:

— Seja o ex-presidente Lula, seja qualquer cidadão brasileiro, nós vivemos no Estado democrático de direito. E as nossas normas devem ser cumpridas com qualquer pessoa. A Constituição não exclui ninguém. Ela aponta foro de prerrogativa de função, mas para agentes públicos. Mas nenhum cidadão brasileiro deve estar isento de responder, se cometeu alguma ilicitude, pelos seus atos.

Ele falou após pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) acesso à delação premiada do senador Delcídio Amaral (PT-MS). Como o teor dos depoimentos do parlamentar foram divulgados pela imprensa, ele disse que não há mais problema em liberar o acesso à delação.

ver mais notícias