Presidente da Comissão do Impeachment diz que desfecho será o que a ‘sociedade exige’

BRASÍLIA — O presidente da Comissão do Impeachment na Câmara, deputado Rogério Rosso (PSD-DF), disse nesta segunda-feira que o resultado do processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff vai ser o que a “sociedade exige”. O parlamentar afirmou ainda que o parecer na comissão deverá ser votado até 11 de abril, e que, depois, estará liberado para voto no plenário.

— Vamos nos focar na denúncia para termos um desfecho que a contento do que a sociedade brasileira exige — afirmou, ao comentar a inclusão da delação premiada do senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) ao pedido de impeachment.

Rosso disse que a defesa de Dilma está assegurada, mas que não vai permitir protelações. E afirmou que o “povo brasileiro está atento” ao que ocorre na comissão.

— O povo brasileiro está atendo ao que está acontecendo aqui. Aqueles que quiserem protelar o povo brasileiro vai estar atento. A nossa missão é respeitar os prazos e promover um relatório balizados nos fatos — disse Rosso, que almoçou com o relator da comissão, deputado Jovair Arantes (PTB-G), nesta segunda.

— Se forem usadas as nove sessões (para defesa), vai para o início de abril, a partir daí tem cinco sessões para deliberar. Não sei o que o relator está pensando nos prazos, mas se utilizar as cinco sessões, a gente imagina que a partir de 11 de abril pode ser votado na comissão e vir a plenário — acrescentou Rosso.

(*Estagiário sob supervisão de Evandro Éboli)

ver mais notícias