Polícia Federal desarticula esquema de desvio de dinheiro da Caixa Econômica

ALAGOAS — A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira a Operação Cabala, com o objetivo de desarticular uma associação criminosa responsável por desviar dinheiro da Caixa Econômica Federal. Por meio do programa “Minha Casa, Minha Vida”, construtoras, empregados do banco, contadores, servidores públicos e compradores das casas, lesaram a instituição em aproximadamente R$ 220 milhões.

Estão sendo cumpridos 27 mandados de busca e apreensão e mais 27 de sequestro, além de 40 inquéritos dos envolvidas nas fraudes. Cinco empregados da Caixa, 11 empresários (donos de construtoras) e quatro contadores estão sendo conduzidos para prestar depoimento, na Sede da Polícia Federal.

Segundo a PF, cerca de duas mil casas foram construídas e vendidas em Teotônio Vilela pelas construtoras, que se aproveitaram do subsídio oferecido pelo programa ‘Minha Casa Minha Vida’, do governo federal. Os donos das empresas superfaturavam o valor dos imóveis, com o intuito de que os compradores financiassen o valor do imóvel. Além disso, para convencê-los a aceitar a proposta, ofereciam ainda a quantia de R$ 1 mil a R$ 3 mil para cada um.

Sem os requisitos necessários para conseguir o financiamento, empregados da Caixa liberavam a verba, mediante pagamento. Contadores, a pedido dos construtores, teriam confeccionado Declarações de Comprovantes de Renda falsos, com o objetivo de burlar as exigências da Caixa e, dessa maneira, conseguir a liberação dos financiamentos.

ver mais notícias