Planalto recebeu resultado da Câmara com indignação e tristeza, diz Cardozo

BRASÍLIA – O ministro da Advocacia-Geral da União, José Eduardo Cardozo, concedeu entrevista coletiva na madrugada desta segunda-feira para comentar a derrota na sessão especial da Câmara que autorizou o impeachment da presidente Dilma Rousseff, que agora segue para o Senado. Cardozo afirmou que o Palácio do Planalto recebeu com “indignação e tristeza” o resultado.

— A decisão que a Câmara tomou hoje foi puramente política. E não é isso que nossa Constituição descreve para um processo de imepachment — disse.

O ministro voltou a criticar o relatório do deputado Jovair Arantes (P

— A Constituição coloca o impeachment como uma situação excepcionalissima, que só pode ser colocada diante de fatos graves. Os dois fatos sobre os quais versam a denúncia do impeachment, ou seja, os seis decretos de 2015, e o atraso nos pagamentos do Banco do Brasil, nunca foram discutidos adequadamente.

E voltou a falar em “golpe de abril de 2016”

— Um golpe na democracia, um golpe nos 54 milhões de eleitores da presidente Dilma Rousseff. Um golpe de abril de 2016. Temos hoje mais um ato na linha da consumação de um golpe, um golpe que se consumado ficará na história como algo vergonhoso para o nosso país.

ver mais notícias