PGR decide investigar Dilma, Lula e Mercadante

BRASÍLIA – A Procuradoria-Geral da República (PGR) decidiu investigar a presidente Dilma Rousseff para apurar se houve crime na tentativa de nomear o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a Casa Civil e na indicação do ministro Marcelo Navarro para o Superior Tribunal de Justiça (STJ). A investigação, que depende de autorização prévia do ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), seria por embaraço às investigações sobre organização criminosa.

A Procuradoria-Geral decidiu investigar ainda o ex-presidente Lula no inquérito principal da Lava-Jato. A decisão em favor das investigações tem como base a delação premiada do senador Delcídio Amaral (Sem partido-MS) e as gravações de conversas entre Lula e outras pessoas, inclusive com a presidente. As gravações foram feitas pela Polícia Federal em inquérito oficiado pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante (PT), também será alvo de investigação. Numa conversa com assessor de Delcídio, o ministro pergunta o que poderia fazer para ajudar a família do senador que, naquele momento, estava preso e prestes a assinar um acordo de delação premiada. Para os investigadores, Mercadante estaria ineressado em demover Delcídio da delação.

Em uma das conversas, Dilma fala com Lula sobre a posse na Casa Civil. A presidente diz que está mandando o termo de posse por um emissário e que Lula só deveria usar o documento em caso de necessidade. A equipe de procuradores responsável pelas investigação da Lava-Jato em Brasília considerou a conversa comprometedora. Dilma estaria tentando promover Lula a ministro para, com isso, tirá-lo do alcance das investigações da força-tarefa do Ministério Público Federal sobre ele e outros dirigentes do PT.

Para investigadores, poderia estar configurada na ação da presidente uma tentativa de embaraço às investigações da organização criminosa. Pesou também na decisão da PGR um dos depoimentos em que Delcídio acusa Dilma de nomear Marcelo Navarro para o STJ com a missão de tirar da prisão o ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrech, detido em Curitiba desde o ano passado.

Delcídio não apresentou provas da acusação, mas procuradores consideram necessário colocar a questão em pratos limpos. Procurada pelo GLOBO, a assessoria de imprensa da PGR disse que não confirma a informação de que houve decisão pelas investigações de Dilma, Lula e Mercadante.

ver mais notícias