Partidos pró-impeachment acusam governo de ‘jogo sujo’ na cooptação de votos

BRASÍLIA – O líder do DEM, deputado Pauderney Avelino (AM), acusou a presidente Dilma, o ex-presidente Lula e governadores do Norte e do Nordeste de estarem agindo fora da legalidade na cooptação de votos para barrar o impeachment. Ele ainda reagiu às declarações de Lula desta manhã de que a bsuca de votos é uma guerra. E anunciou que os partidos querem ingressar ainda neste sábado com uma notícia-crime junto à Polícia Federal contra a presidente Dilma, Lula e os governadores por corrupção passiva.

— A guerra é válida dentro do limnite da lei. Mas quando ultrapassa essa barreira da legialidade, vira crime, aí é o vale-tudo. O vale-tudo entra numa campanha sórdida — disse Pauderney, que não apresentou provas.

— É um jogo sujo do governo e de baixo sórdido — acrescentou o deputado Mendonça Filho (DEM-PE).

Eles dizem que o placar a favor do impeachment está entre 364 votos e 367 votos a favor do impeachment. No PP, contiveram a ofensiva do governo com o fechamento de questão e ameaça de expulsão ocorrida na sexta-feira, em reunião da direção nacional.

No caso dos governadores, Pauderney diz que há oferecimento de cargos aos parlamentares em seus estados.

— Além disso, o Diário Oficial da União está recheado de nomeações hoje — disse Pauderney.

ver mais notícias