Para oposição, Dilma faz ‘apelação’ e não convence ninguém

BRASÍLIA – Senadores da oposição atacaram as declarações da presidente Dilma Rousseff, que se disse injustiçada pela decisão da Câmara sobre o processo de impeachment, e afirmaram que ela faz “apelação”, busca a “vitimização” e não convence ninguém.

– Se a margem de votos fosse pequena até poderia contestar, mas com um score de 72% a 28% qualquer desculpa é apelação pura, retórica vazia, algo que não convence ninguém – afirmou o presidente do DEM, José Agripino (RN).

– Ela fez uma postura de vítima, tentou se vitimizar, chegou a se dizer torturada pelo Congresso, mas esqueceu de citar a tortura que faz ao povo brasileiro, a tortura do desemprego, da desassistência diante de crises tão graves – disse o líder do PSDB, Cássio Cunha Lima (PB).

Agripino criticou o ataque feito por Dilma ao vice Michel Temer, que foi chamado por ela de traidor. O presidente do DEM afirmou que a posse de Temer seria mera consequência da previsão expressa na Constituição.

– Não veria porque alguém que tem uma prerrogativa constitucional pudesse ser enquadrado dessa forma. Não sei onde estaria a traição de Michel Temer se ele é apenas uma consequência desse processo – disse Agripino.

Para Cunha Lima, a fala da presidente não terá repercussão no Senado e serve apenas como discurso para aqueles que já a apoiam.

– Ela fala para dentro e se distancia cada vez mais da maioria que não aprova tanto seu governo, quanto o comportamento. Esse governo nasceu de uma grande mentira e terminará como uma imensa fraude – afirmou o líder tucano.

ver mais notícias