Pai que matou a filha e depois se enforcou ameaçava ex: 'Não vai comemorar nunca mais'

Dário de Oliveira e Silva, de 60 anos, que matou a própria filha, Daiane Mariano de Azevedo e Silva, de 14 anos, e depois se suicidou, na noite dessa terça-feira (21), já vinha fazendo ameaças a mãe da adolescente, após o fim do relacionamento.
“Ele falou que ela não iria comemorar o aniversário nunca mais, só iria chorar. Ele disse ainda que ela não merecia a morte, merecia muito mais”, conta Michele Azevedo, tia da vítima.

A relação entre os pais da jovem havia terminado, ainda de acordo com Michele, no fim do ano passado.

Dário era agente penitenciário aposentado e usou um revólver para tirar a vida da filha e logo após, se enforcou. 

A mãe de Dayanne foi quem encontrou os corpos. O ex-amante definiu a data do aniversário dela para cometer o crime, que ocorreu no bairro Parque Afonso, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense (RJ).

ver mais notícias