Padilha defende ministro interino do Planejamento citado na Zelotes

BRASÍLIA – O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha saiu em defesa do ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, nesta terça-feira. Ao ser perguntado durante uma coletiva no Palácio do Planalto, se seria confortável que Dyogo comande o Planejamento, uma vez que ele foi citado nas investigações da operação Zelotes, Padilha afirmou que o ministro interino é um servidor de carreira excepcional e que não há nenhuma investigação aberta contra ele.

– Dyogo é um dos quadros mais expressivos daqueles que fazem carreira de servidor público. Tem uma trajetória que eu conheço. É um excepcional servidor público. Sobre a citação na Zelotes, é o seguinte. Quando alguém diz: “eu conheço um senhor Pedro, eu estive numa reunião que o senhor Pedro e o senhor Pedro não diz nada, essa citação é absolutamente irrelevante. Uma citação vale quando é envolvida num inquérito. No caso dele, foi uma citação do tipo passou um avião.

A Operação Zelotes analisou se houve, no Legislativo e no Executivo, negociação de medidas provisórias (MPs) que beneficiaram o setor automotivo. O Ministério do Planejamento informou que ele não foi indiciado e já prestou todos os esclarecimentos.

Ao GLOBO, Dyogo negou irregularidades. Ele disse que cuidava do setor industrial no Ministério Fazenda e, por isso, teve reuniões com representantes de empresas, inclusive automotivas. Também disse não se recordar, mas, que, numa dessas reuniões, o lobista Alexandre Paes dos Santos, o APS, que viria a ser condenado na Zelotes, deve ter participado.

ver mais notícias