Oposição ameaça ir à Justiça para impedir que Lula integre o governo

BRASÍLIA — Líderes da oposição já têm prontas ações judiciais contra a presidente Dilma Rousseff, por tentativa de obstrução da Justiça, se ela confirmar a nomeação do ex-presidente Lula como superministro, chancelando o que chamam de “autogolpe” para troca de comando no governo, e para que ele obtenha foro privilegiado e escape da investigação da Operação Lava-Jato na primeira instância, que tem à frente o juiz Sérgio Moro.

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), afirmou que o partido estuda tomar medidas judiciais contra a nomeação. Disse que a ação mostra que o governo tem como única preocupação “sua sobrevivência a qualquer custo”.

Já os líderes dos movimentos que levaram milhões de manifestantes as ruas no último domingo foram ao Congresso. Eles prometeram “parar o país” se Lula virar ministro.

— A ida do ex-presidente Lula para um ministério reforça a certeza dos brasileiros de que o governo tem hoje como única preocupação a sua sobrevivência a qualquer custo. Mais uma vez, o governo serve ao PT e não ao país — criticou Aécio.

— Cargo de confiança cabe à presidente escolher seus ministros, aqueles que compõem a sua equipe. Eu apenas entendo que o Brasil precisa virar a página, e não voltar à página anterior — criticou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Ao lado de representantes dos movimentos de rua, líderes da oposição apresentaram, em ato no Salão Verde da Câmara, as ações populares encabeçadas pelo DEM e que serão abertas em todos os estados e no Distrito Federal contra a indicação de Lula. O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), criticou a ida de Lula para um ministério:

— O governo quer dar um tapa na cara de seis milhões de brasileiros que foram às ruas e pediram a saída do PT do poder. O que querem com o ex-presidente como ministro é escondê-lo da Operação Lava-Jato. Lula não vai integrar o governo para servir o país. É um desrespeito ao Supremo Tribunal Federal — disse Caiado, afirmando que o STF não vai “encobrir os crimes de Lula”.

Além dos líderes da oposição, representantes do Movimento Brasil Livre, Vem Pra Rua, Aliança Nacional e Revoltados On Line reforçaram a posição a favor do impeachment e contra a nomeação de Lula para o ministério.

Carla Zambelli, da Aliança Nacional, que, segundo ela, reúne 47 movimentos contra o governo, acrescentou:

— Vamos parar o Brasil se o Lula assumir. No nosso site, onde defendemos a paralisação, já temos a adesão de 11 mil empresários. (Colaborou Manoel Ventura)

ver mais notícias