MST invade fazenda de amigo de Temer no interior de São Paulo

SÃO PAULO – O Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST) invadiu na manhã desta segunda-feira a fazenda de João Baptista Lima Filho, sócio da Argeplan e amigo do vice-presidente Michel Temer, no interior de São Paulo. Em nota, o MST disse que o objetivo da ocupação ‘é denunciar as conspirações golpistas de Temer, muitas vezes articuladas de dentro da propriedade’. A assessoria de Temer confirmou que se trata da propriedade de um amigo, mas negou que ele tenha qualquer ligação com ela.

O MST disse que, com a ocupação, espera também levar à pauta a reforma agrária no Brasil. A fazenda tem cerca de 1.500 hectares, e fica entre os municípios de Duartina, Fernão, Gália e Lucianópolis, na região de Marília. Segundo o movimento, há práticas ilegais de agronegócio no local.

“Apesar de não constarem registros documentais em nome de Temer, é recorrente para os moradores da cidade a noção de quem é o verdadeiro dono da área”, diz a nota do MST, insinuando que Temer usa a fazenda.

O nome de Lima Filho foi citado por José Antunes Sobrinho, um dos donos da Engevix, em depoimento de delação premiada. De acordo com a revista ‘Época’, Sobrinho teria apontado Lima como um emissário do vice-presidente e teria recebido R$ 1 milhão como forma de agradecimento pela participação em uma licitação de R$ 162 milhões da Eletronuclear para operar Angra 3.

Sobrinho relatou ter se encontrado duas vezes com Temer e o sócio da Argeplan no escritório político do vice-presidente, em São Paulo, para tratar do contrato. Em uma dessas reuniões, Lima teria cobrado a contribuição de R$ 1 milhão, que seria aplicada na campanha de 2014.

À revista “Época”, Michel Temer confirmou os encontros com Lima e o dono da Engevix, mas negou ter tratado desse assunto com os dois.

Coronel da reserva da PM, Lima é sócio também da PDA Administração e Participação, que funciona no mesmo endereço da Argeplan.

Kelli Mafort, da Direção Nacional do MST, afirmou que a ocupação foi pacífica e que o grupo permanecerá na fazenda por tempo indeterminado. Segundo ela, dentro da fazenda há uma faixa de terras que é patrimônio da União e teria sido incorporada indevidamente pelos atuais proprietários.

– Uma das informações de pessoas que moram na região é que o vice-presidente esteve na fazenda no feriado do 1º de Maio – disse Kelli.

Argeplan divulgou nota informando que todas as propriedades rurais da empresa e de seu sócio, João Baptista Lima Filho, são regulares e produtivas. A nota ressalta que Lima Filho é arquiteto e tem “plena qualificação” para atuar na área e que a Argeplan já realizou mais de 700 projetos. “Os proprietários das áreas em questão não ofereceram qualquer resistência à invasão e estão estudando as providências a serem adotadas”, diz a nota.

ver mais notícias