Moro mantém prisão de Ronan e liberta Silvio Pereira

CURITIBA — O juiz Sérgio Moro decretou a prisão preventiva do empresário Ronan Maria Pinto, que foi detido na sexta-feira passada, durante a 27ª fase da Operação Lava-Jato. Ele decidiu não prorrogar a prisão do ex-secretário do PT Silvio Pereira, que ficou livre para deixar a Superintendência da Polícia Federal. Por volta das 19h, Silvinho seguiu de volta a São Paulo.

O juiz afirmou que Ronan responde a cinco ações em Santo André e que em uma delas foi condenado a 10 anos de prisão por corrupção. Segundo Moro, a “prática dos crimes pelos quais foi condenado, com intimidações e ameaças a empresários, indica igualmente risco à investigação e à instrução, já que testemunhas relevantes para esta investigação e para a instrução poderão também ser vítimas de práticas equivalentes.”

Segundo Moro, por enquanto a única explicação possível para Ronan ter recebido R$ 6 milhões que Bumlai conseguiu por meio do banco Schain é que ele extorquiu dirigentes do PT. O juiz citou preocupação com o descobrimento de contas off-shore em nome do filho de Ronan, mas não decidiu ainda se autoriza a quebra de sigilo fiscal e bancário dele.

Com relação a Silvio Pereira, Moro afirmou que sua participação na solicitação do aludido empréstimo “por ora foi afirmada apenas pelo condenado Marcos Valério, o que é insuficiente para medida tão drástica.” E disse, ainda, que os pagamentos recebidos por ele precisam ser melhor investigados antes de tomar qualquer conclusão.

(*Enviado especial)

ver mais notícias