Mobilização pró-impeachment terá ato em frente ao Planalto nesta quarta

BRASÍLIA – Como forma de pressionar os deputados a aprovar o impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara, deputados da oposição montaram um calendário de mobilização que começa nesta quarta-feira com ato em frente ao Palácio do Planalto após a leitura do parecer do deputado Jovair Arantes (PTB-GO) na Comissão do Impeachment. Segundo o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força Sindical, a mobilização também incluirá uma simulação de votação com mil crianças representando os deputados em frente ao Congresso, atos sindicais e a manifestação nos dias da votação na Comissão do Impeachment e no plenário da Câmara.

— No domingo de manhã vamos fazer um ato no gramado com mil crianças da periferia de Brasília que representarão os 513 deputados . Vamos simular a votação do impeachment com as crianças. Quem está organizando isso são os movimentos sociais — afirmou Paulinho.

Na quinta-feira, a ideia é mobilização em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF) por conta do julgamento das ações contra a posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro da Casa Civil. Na sexta-feira, em São Paulo, marcaram um ato no Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil com a participação de trabalhadores e representantes da oposição. A ideia é mobilizar as ruas para a votação no dia da Comissão do Impeachment e, principalmente, nos dias de votação no plenário. Segundo Paulinho, a estimativa é colocar 500 mil pessoas pró-impeachment no gramado em frente ao Congresso e os apoiadores de Dilma ficariam em frente ao Palácio do Planalto.

A Força Sindical e outros sindicatos querem colocar um telão para transmitir a votação em plenário. Segundo Paulinho, a ideia é também colocar um telão na Câmara, que mostre a movimentação de fora do Congresso aos deputados que irão votar e que isso está sendo acertado com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

ver mais notícias