Ministro não agiu por solidariedade, diz Delcídio

BRASÍLIA — O senador Delcídio Amaral e assessores assistiram à entrevista coletiva do ministro da Educação, Aloizio Mercadante. O senador se mostrou irritado e disse a pessoas próximas que Mercadante não agiu por solidariedade, mas para garantir que ficasse em silêncio. José Eduardo Marzagão, assessor de Delcídio e responsável pela gravação da conversa com Mercadante, disse a amigos que foi chamado pelo ministro e que usou claramente o termo “delação”.

— Mercadante era um desafeto do Delcídio e ele que me chamou. Ele foi claro ao pedir que eu tentasse convencer o Delcídio a não fazer delação — disse Marzagão a uma pessoa próxima.

Com a revelação do áudio, gravado por Marzagão, Mercadante convocou uma coletiva e disse que o ato foi um “gesto pessoal de solidariedade”, e não do governo, em virtude de uma campanha difamatória contra a família de Delcídio. Durante a entrevista, o ministro negou que tenha oferecido ajuda financeira ou que tenha tratado sobre o relaxamento de prisão de Delcídio com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, e com o presidente do Senado, Renan Calheiros.

ver mais notícias