Ministério da Justiça tomará medidas sobre intimidação de Teori, dizem deputados

BRASÍLIA – O Ministério da Justiça tomará providências para apurar a intimidação ao ministro Teori Zavascki e seus familiares desde a noite de ontem, depois da decisão dele de pedir que o juiz Sérgio Moro envie ao Supremo Tribunal Federal (STF) as investigações sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A informação da ação do Ministério da Justiça é dos deputados Paulo Pimenta (PT-RS) e Jandira Feghali (PC do B-RJ) que procuraram na manhã desta quarta-feira com o ministro da Justiça, Eugênio Aragão para conversar sobre os acontecimentos desencadeados na noite de ontem após a decisão de Teori. Entre eles está a divulgação, em redes sociais, do endereço em Porto Alegre de Alexandre Teori, filho de Teori e de manifestação em frente ao local durante a noite de ontem.

Segundo os deputados, o ministro da Justiça soltará uma nota sobre isso. As medidas para garantir a segurança envolverão a Força Nacional, o Gabinete de Segurança Institucional, a Polícia Federal e a segurança do Supremo.

— Com isso se dará segurança aos ministros e às sessões do Supremo. Também serão apurados e os que fizeram as ameaças, seja por qualquer instrumento de imagem ou rede social — afirmou Jandira, acrescentando:

— Não é possível que o nível de intolerância e de ódio chegue ao ponto de ameaçar um ministro da Supremo Corte brasileira que toma atitude dentro da legalidade para enfrentar as ilegalidades. .

Segundo Pimenta, serão adotadas medidas como abertura de inquéritos para responsabilizar criminalmente os que participaram de atos de intimidação e também investigadas atitudes de incitação à violência nas redes sociais.

— Não podemos permitir a escalada fascista. Permitir que ministros do Supremo sejam ameaçados por darem decisões, ministros e seus familiares. É preciso que quem faz isso seja responsabilizado criminalmente. Haverá uma ação conjunta do Executivo e do Judiciário para coibir isso. É um situação de ofensa a um integrante da Suprema Corte _ disse Pimenta, acrescentando:

— Não temos notícia que isso tenha ocorrido no Brasil. Imagine o ministro Gilmar Mendes, se por conta de inconformidade com decisão dele ou o juiz Sérgio Moro, se começar a ter ameaça a eles ou a seus filhos?

ver mais notícias