Maranhão dá chá de cadeira em deputados que cobram medidas contra corrupção

BRASÍLIA – Dispostos a cobrar a criação e instalação da comissão especial que analisará o projeto da campanha “10 medidas contra a corrução”, um grupo de dez deputados, capitaneados pelo deputado Mendes Thame (PV-SP), aguardou por mais de uma hora que o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) os recebesse. Segundo os deputados, a audiência estava marcada para 11h desta quinta-feira. Maranhão não apareceu na Câmara e sugeriu que os deputados, que também queriam entregar quase 100 mil assinaturas adicionais de apoio à proposta, protocolassem as assinaturas na Secretaria Geral da Mesa.

Os deputados não concordaram e avisaram que irão cobrar, todas as semanas, a instalação dessa comissão especial. Mendes Thame, que preside a Frente Parlamentar Mista de Combate à Corrupção, já tinha cobrado em duas ocasiões, a instalação dessa comissão especial. Na segunda vez, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), comprometeu-se a instalar, mas foi afastado da presidência da Casa no dia seguinte. Mas, até agora, não houve movimento neste sentido.

O projeto de iniciativa popular chegou à Câmara no final de março, com o apoio de mais de 2 milhões de assinaturas. Para dar celeridade á tramitação, Thame e outros três deputados assinaram a proposta. que estabelece medidas contra a corrupção e demais crimes contra o patrimônio público. O projeto tem o apoio do Ministério Público e também combate o enriquecimento ilícito de agentes públicos. O projeto foi numerado, Cunha comprometeu-se a dar andamento, mas não o fez. Diante da segunda cobrança, na véspera de seu afastamento, assumiu novo compromisso.

— Estamos com quase 100 mil novas assinaturas da sociedade em apoio ao projeto, são quase 3 milhões de assinaturas. Queremos a criação da comissão especial que analisará a proposta. Viemos cobrar isso do Maranhão. Queremos entregar para ele para que haja o compromisso de instalação — disse Thame

— Estamos aguardado há mais de um mês e nada. Enquanto ela não for criada, não vamos parar de cobrar — avisou o deputado Diego Garcia (PHS-PR), um dos que, ao lado de Thame, assina o projeto de iniciativa popular.

O deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) disse que não querem entrar em confronto com Maranhão e que marcaram nova audiência na próxima semana.

A assessoria de Maranhão informou que ele teve um problema de agenda e não pode comparecer à Câmara. A agenda foi transferida para outra data.

ver mais notícias