Manifestantes pró e contra impeachment protestam na Esplanada

BRASÍLIA – Enquanto a comissão do impeachment votava a admissibilidade do processo, militantes pró e contra puxavam os primeiros protestos da semana na Esplanada dos Ministérios. Eles não conseguiram chegar ao gramado do Congresso Nacional devido à barreira colocada pelo governo do Distrito Federal (GDF) na Alameda dos Estados. A cerca ficará no local até o plenário da Câmara finalizar a análise do impeachment, o que está previsto para domingo.

Os protestos estão divididos pelo muro que começou a ser instalado pelo GDF. Do lado sul, os manifestantes pró-impeachment tocaram, no carro de som, o Hino Nacional para comemorar o resultado da votação. Do outro lado, militantes que defendem o mandato da presidente Dilma disseram que já esperavam o resultado na comissão e que isso reforça ainda mais a necessidade de mobilização para barrar o que chamam de “golpe”.

– Somos 35 milhões de trabalhadores pobres. Temos que sair nas periferias, ir nas escolas, nas comunidades, organizar nossos meios de comunicação para que a gente vá conversar com os trabalhadores para que eles venham para as ruas não para defender um governo mas defender a democracia – afirmou o militante do MST no carro de som.

Do outro lado, manifestantes exaltam a figura do juiz Sérgio Moro, responsável pelas Lava Jato no Judiciário, e pedem a punição de todos os corruptos no país:

– Seja de qualquer partido, seja presidente ou ex-presidente, que sejam punidos, é isso o que queremos. Quando veríamos empresários ricos presos? O país está mudando – discursava um militante do protesto pró-impeachment.

ver mais notícias