Lula: país vive ‘clima de ódio’ e defensores do impeachment são ‘golpistas’

RIO — O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste sábado, em Fortaleza, que o país vive um “clima de ódio” nunca visto antes e que “defender o impeachment” da presidente Dilma Rousseff é agir “como golpista”, segundo o G1. Lula, que participou de ato contra o impeachment ao lado do governador do Ceará, Camilo Santana, também disse que o vice-presidente da República, Michel Temer precisa “aprender” sobre as eleições.

— Eu estou estranhando um pouco o que está acontecendo no nosso país. Eu completei 70 anos de idade. Vivo nesse país fazendo política e nunca vi um clima de ódio estabelecido no país como está estabelecido agora. Aqueles que amam a democracia, aqueles que gostam de fazer política […] querem que se respeite a coisa mais elementar, que é o respeito ao voto popular que elegeu a Dilma — discursou o ex-presidente.

Para ele, ainda segundo o G1, Dilma não deveria ser afastada do cargo porque não cometeu crime de responsabilidade.

— Foi só a Dilma começar a andar de bicicleta que eles inventaram as pedaladas. Ninguém aqui é contra o impeachment que está na Constituição, mas tem que ter base legal, crime de responsabilidade. E a companheira Dilma não cometeu crime de responsabilidade. Por isso, defender impeachment é ser golpista — defendeu Lula.

O ex-presidente também criticou o vice-presidente da República, Michel Temer:

— Eu perdi muitas eleições. E eu quero que ele [Temer] aprenda sobre as eleições. O Temer é um professor de direito e sabe que o quê estão fazendo é um golpe. E isso, ele sabe que vão cobrar é dos dos filhos dele, é do neto dele amanhã. Porque a forma mais vergonhosa de chegar ao poder é tentar derrubar um mandato legal.

ver mais notícias