Lula muda de ideia e ficará em Brasília para acompanhar votação no domingo

BRASÍLIA – Nas tratativas finais para angariar votos contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula, que se recolheria em São Paulo para acompanhar a votação na Câmara dos Deputados, resolveu, segundo deputados próximos, ficar em Brasília até que saia o resultado de domingo.

Lula está na capital desde o início da semana, fazendo as últimas articulações para evitar a derrota do governo. A ofensiva, no entanto, não tem surtido o efeito esperado. Nesta semana, já decidiu abandonar o governo o PP, e PMDB e PSD orientaram o voto a favor do impedimento.

Nesta sexta, o ex-presidente divulgou um vídeo nas redes sociais em que diz que o impeachment é golpe e que, se for aprovado, agravará a crise. Ele diz que ninguém que não teve a legitimidade do voto conseguirá governar o país e contará com o respeito da população. O vídeo de Lula é uma estratégia casada com a presidente Dilma, que nesta sexta-feira à noite fará um pronunciamento à nação em cadeia nacional de rádio e TV.

No vídeo, Lula fez um apelo aos deputados que vão votar o processo. Na gravação, ele ataca o vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) sem citá-lo nominalmente.

– Quem trai o compromisso selado nas urnas não vai sustentar acordos feitos nas sombras – acusa Lula, se referindo às negociações feitas pelo vice-presidente com os partidos.

O petista pediu aos deputados que “pensem com muita serenidade”. Na avaliação do ex-presidente, todas conquistas da constituição de 1988 e de seu governo estão ameaçadas se o impeachment passar. Ele diz que “juntos” conseguimos vencer a fome, reduzir a desigualdade, superar desafios econômicos, políticos e sociais e derrubar “o muro que dividia o Brasil entre os que tudo podiam e os que sempre ficaram à margem da história”.

ROMARIA A GABINETES DE INDECISOS

Orientados pelo ex-presidente, deputados do PT não são vistos no plenário da Câmara, totalmente esvaziado, mas fazem, na tarde desta sexta-feira, uma romaria a gabinetes de deputados indecisos, principalmente dos partidos do “centro” – PP, PR e PSD – na esperança de conseguir os últimos votos a favor do governo.

O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) é um dos que está com essa “missão”, compartilhada com os demais parlamentares presentes na Casa.

– Estamos todos fazendo essa força-tarefa de ir aos gabinetes – afirmou Teixeira.

ver mais notícias