Léo Pinheiro também negocia acordo de delação premiada

BRASÍLIA – Depois da anunciada decisão de Marcelo Odebrecht e outros executivos da Odebrecht de fazer acordo de delação premiada, chegou a hora do colega José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, também vai seguir o mesmo caminho. Pinheiro está negociando um acordo de delação premiada com as forças tarefa do Paraná e da Procuradoria-Geral da República, segundo disse ao GLOBO uma pessoa que acompanha as tratativas de perto.

A decisão deve ser anunciada em breve. Pinheiro e Marcelo Odebrecht teriam tomado simultaneamente a decisão de partir para a delação.

— As negociações estão avançando. Na hora que um fechar o acordo, o outro também fecha. É uma questão de sobrevivência — disse um privilegiado interlocutor de um dos empresários.

A negociação da OAS e Odebrecht foi antecipada pelo O GLOBO no início do mês. As duas construtoras estão entre as maiores financiadoras de campanhas eleitorais no país. Também teriam papel fundamental no esclarecimento sobre as questões levantadas na 24ª etapa da Lava-Jato: as relações entre os dois grupos e o ex-presidente Lula. As empreiteiras fizeram um consórcio informal para fazer reformas em sítio de Atibaia (SP) usado por Lula. O sítio está em nome de Fernando Bittar e Jonas Suassuna. A força-tarefa investiga se o sítio pertence ao ex-presidente.

Condenado a 16 anos de prisão pelo juiz Sérgio Moro, o empresário foi solto, mas usa tornozeleira eletrônica. O cumprimento da pena começa a partir da ratificação de condenação em segunda instância e não do trânsito em julgado do processo, como ocorria anteriormente.

ver mais notícias