CM7

     
 
 
Manaus, 17 de outubro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Últimas Notícias / Brasil / Justiça Federal decreta prisão do ex-delegado da PF Protógenes Queiroz

Justiça Federal decreta prisão do ex-delegado da PF Protógenes Queiroz

Da redação | 14/05/2016 13:10

SÃO PAULO. A juíza Andréa Silva Sarney Costa Moruzzi, da 1ª Vara Criminal Federal de São Paulo, determinou a prisão do ex-delegado da Polícia Federal Protógenes Pinheiro de Queiroz, e pediu que o nome dele seja incluído na lista vermelha de procurados da Interpol. A informação foi confirmada pela assessoria da Justiça Federal neste sábado. Queiroz deixou de comparecer a uma audiência marcada para sexta-feira, devido à sua condenação por violação do sigilo funcional e fraude processual na Operação Satiagraha, que levou à prisão o banqueiro Daniel Dantas.

No twitter, Protógenes comentou a decisão: ‏”Só na justiça desse Brasil os corruptos absolvidos soltos e o policial federal pq não aceitou a corrupção condenado c/mandado de prisão”. Uma campanha coleta assinaturas para que ele volte a ser delegado da polícia federal.

Com o não comparecimento à audiência, a Justiça Federal poderá rever a conversão da pena, com eventual regressão de regime. Há informações de que ele estaria fora do país.

Protógenes Queiroz foi condenado pela 7ª Vara Federal Criminal de São Paulo em 2010. Em outubro de 2014, a condenação foi confirmada pelo Supremo Tribunal Federal, que estabeleceu pena de dois anos e seis meses, substituída por prestação de serviços comunitários e proibição de sair de casa nos fins de semana. Ele também perdeu o cargo na Polícia Federal.

Protógenes coordenou a Operação Satiagraha e, de acordo com o processo, avisou dois jornalistas da TV Globo sobre a hora e o local em que seriam feitas prisões. Foram transmitidas a prisão do empresário Naji Nahas e do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta, já falecido. Protógenes também havia informado os jornalistas sobre hora e local de uma reunião entre dois empresários investigados da operação e um delegado da Polícia Federal. No encontro teria ocorrido negociação de pagamento de propina para beneficiar investigados.

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA