Janaína Paschoal: ‘Nada é 100% tranquilo, mas não me ofendo’

SÃO PAULO — Um dia depois de ter se tornado a personagem principal na internet depois de um aguerrido discurso em favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, proferido na última segunda-feira, a jurista Janaína Paschoal, autora do pedido de impedimento que tramita na Câmara, negou que pretenda tomar qualquer medida contra aqueles que fizeram montagens com suas fotos e a criticaram na internet.

— Eu respeito a liberdade de manifestação. Não estou cerceando os críticos, muito menos aqueles que demonstram afeto — afirmou em mensagem de texto trocada com o GLOBO nesta quarta-feira.

Janaína foi comparada à personagem protagonista do filme “O Exorcista”, seu discurso foi dublado com o clássico do metal “The number of the beast”, da banda Iron Maiden, e chegou-se a dizer que ela era a “menina pastora”, em referência a uma criança que ganhou fama em 2007 pelas pregações fervorosas que fazia. A enxurrada de manifestações ligadas a seu nome, a levou a Trending Topics nacional no microblog Twitter. Uma página no Facebook atribuída à advogada virou arena de debate entre apoiadores e detratores. Janaína afirma que não tem controle sobre o perfil, que foi criado por um admirador como uma homenagem à ela, e por isso não pode editá-lo. Descartou ainda que tentará tirá-lo do ar.

— Nada é 100% tranquilo, mas eu raramente aconselho quem me procura a propor uma queixa-crime. Não vou fazer diferente quando acontece comigo. Ademais, não posso perder energia com essas coisas, eu não me ofendo. Também não vou ocupar tempo da Justiça que tem tanta coisa relevante para resolver — justificou.

ver mais notícias