Irônico, Renan diz que vai "avaliar" pedido de afastamento de Janot

BRASÍLIA – O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), acabou usando de ironia nesta terça-feira para comentar o novo inquérito contra ele e sobre um pedido de impeachment (afastamento) do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, protocolado no Senado. Cabe ao Senado analisar esse tipo de pedido. Renan disse que já arquivou vários pedidos contra Janot, mas que esse vai analisar.

— Nos últimos meses, já arquivei cinco pedidos de impedimento do procurador-geral da República, entendi que as petições eram ineptas. Essa vou avaliar — disse Renan, sorrindo.

Em abril, ele arquivou pedido semelhante contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio. Esse pedido contra Janot foi apresentado por duas advogadas: Beatriz Kicis T. de Sordi e Claudia de Faria Castro, alegando que Janot deveria ser afastado por não ter pedido também as prisões do ex-presidente Lula e da presidente afastada Dilma Rousseff, além dos pedidos de senadores, entre eles do próprio Renan.

Renan apareceu nas agravações feitas por Sérgio Machado chamado Janot de “mau caráter”. Renan e Machado condenam o apoio de Janot à Lava-Jato. Como em todas as conversas, é Machado que cita as pessoas e leva a uma resposta de Renan.

— Agora esse Janot, Renan, é o maior mau caráter da face da terra — disse Machado.

— Mau caráter! Mau caráter! E faz tudo que essa força-tarefa (Lava Jato) quer — reagiu Renan, de maneira direta.

Renan não queria falar sobre o novo inquérito, mas respondeu sobre isso quando perguntado sobre o pedido das advogadas, pedindo que fosse sobre a nova investigação.

— Lamento essa obsessão comigo — disse Renan.

ver mais notícias