Instituto Lula é pichado em protesto contra ex-presidente

SÃO BERNARDO DO CAMPO — O portão do Instituto Lula, em São Paulo, foi pichado na madrugada deste sábado em protesto contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi conduzido coercitivamente na sexta-feira para depor na Polícia Federal na 24ª fase da Operação Lava-Jato. Na porta da garagem do prêdio, lê-se: “Lula ladrão. Basta de corrupção! Sua hora chegou corrupto”.

Em frente ao prédio onde Lula mora em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, estão 250 manifestantes favoráveis ao ex-presidente neste sábado, segundo contabiliza a Polícia Militar. Os apoiadores do PT estão vestidos com camisetas vermelhas e carregando bandeiras do Brasil.

Por volta das 9 horas os policiais interditaram uma das faixas da avenida. Uma faixa com os dizeres “Lula o mais honesto e honrado deste país”, foi colocada na entrada do prédio. O clima é pacífico. Os presentes entoam o tradicional canto: “Lula, guerreiro do povo brasileiros” e também “Lula é meu amigo, mexeu com ele, mexeu comigo”.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Rafael Marques, há expectativa de que a presidente Dilma Rousseff se reúna com Lula no apartamento dele por volta das 11h deste sábado.

— O jeito com que o ex-presidente foi levado foi exagerado e violento. A Lava-Jato tem como mérito o combate à corrupção, mas também tem o demérito, na minha opinião, de estar atuando politicamente em vários momentos — disse o sindicalista.

O Ministério Público Federal investiga a origem de R$ 30,7 milhões pagos por pelas maiores empreiteiras envolvidas nas fraudes à Petrobras ao Instituto Lula e à LILS Palestras, empresa do ex-presidente Lula. Camargo Correa, OAS, Odebrecht, Andrade Gutierrez, UTC e Queiroz Galvão doaram R$ 20,7 milhões ao Instituto e pagaram R$ 9,920 milhões por palestras entre 2011 e 2014. De acordo com a força-tarefa da Operação Lava-Jato, o petista é suspeito de se beneficiar do desvio de dinheiro da Petrobras.

O ex-presidente nega as acusações. Durante encontro com a militância do PT ontem à noite em São Paulo, Lula disse que foi “sequestrado” pelos policiais federais e lembrou que seu governo abriu as portas para camadas mais pobres da população, e que isso incomodou “a elite”.

ver mais notícias