Instituto Lula mostra salas alvo de operação da PF

SÃO PAULO — O Instituto Lula abriu para a imprensa algumas salas do local que foram alvo da operação da Polícia Federal, na última sexta-feira. Foram mostradas a sala do presidente do instituto, Paulo Okamotto, do diretor de assuntos da África, Celso Marcondes, do administrativo-financeiro e da comunicação.

O acesso só foi permitido à casa anexa do instituto. O prédio principal, de onde despacha o ex-presidente Lula, não foi aberto.

— Acho que o Moro fez um mal para o país. Não precisava fazer uma operação com 200 homens, usar toda essa violência, essa truculência e essa demonstração de força — afirmou Celso Marcondes.

A porta da sala do administrativo-financeiro foi arrombada.

— Aquela sala arrombada é um absurdo. A chave estava com uma das moças (funcionárias do instituto que acompanhava as buscas), mas ninguém pediu a chave — completou Marcondes.

ver mais notícias