Impeachment: voto do relator é saudado pela oposição e criticado por governistas

BRASÍLIA – Como era de se esperar, o voto do relator Jovair Arantes (PTB-GO), a favor da abertura de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, foi saudado pelos deputados da oposição e criticado e criticado pelos integrantes da base do governo. O relator afirmou que vê indícios de que a presidente cometeu crime de responsabilidade nas ‘pedaladas’ fiscais e abertura de créditos suplementares

O líder do DEM, Pauderney Avelino (AM), elogiou o voto do petebista.

— É um relatório extremamente técnico e que atende aos anseios dos brasileiros, aquilo que todo mundo espera — disse Avelino, que prevê aprovação do parecer pelo afastamento de Dilma com 38 votos a favor.

Já Orlando Silva (PCdoB-SP), da base de apoio, criticou e afirmou que há interferência de Cunha no texto.

— Esse relatório tem todas as digitais do presidente Eduardo Cunha. É o segundo ato dele contra a presidente Dilma. Primeiro, foi a aceitação do pedido. Não há novidade alguma ali. É uma salada, que mistura coisa que nem deve, como Passadena, delação do Delcídio, que estão fora da denúncia aceita — disse Silva.

Mendonça Filho (DEM-PE) elogiou.

— Confirma o que se sabia, das ilegalidades fiscais e o uso indevido dos bancos oficiais pela presidente — disse.

Wadih Damou (PT-RJ) disse que o voto é fraco e já anuncia, se perder na comissão, apresentação de um voto em separado no plenário.

— Esse relatório e voto foram mal feitos. É muito fraco, mal ajambrado. Diria que até enfraquece a tese do impeachment. Ótimo para nós. Um advogado adora quando o outro lado apresenta uma peça mal feita — disse Damous.

ver mais notícias