Homem é preso na Paulista após cortar pato inflável da Fiesp

SÃO PAULO – Um homem foi detido por policiais militares na avenida Paulista, na manhã deste domingo, acusado de cortar o pato gigante inflável da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O pato é usado como símbolo da campanha contra aumento de impostos intitulada “Não vou pagar o pato”.

Segundo a Polícia Militar, o acusado portava uma faca e teria cortado o pato inflável por volta das 8h30m. Ele foi levado, algemado, ao 78º DP, no bairro do Jardins, zona sul da cidade.

A Fiesp disse que a entidade tem quatro patos e confirmou que um deles foi atacado pelo acusado. O principal tem 112 metros de altura e já está colocado na Avenida Paulista, em frente à sede.

Também em São Paulo, manifestantes contrários ao impeachment se reúnem no Anhangabaú, centro da cidade. O protesto é organizado por movimentos sociais como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e a Central de Movimentos Populares (CMP). Espera-se que políticos discursem e músicos façam shows no local.

Manifestantes favoráveis ao impeachment da presidente Dilma Rousseff chegam aos poucos a avenida Paulista. O Movimento Brasil Livre e o Vem pra Rua, que organizam os protestos contra o governo federal, montaram telões para que todos assistam à sessão.

ver mais notícias