CM7

     
 
 
Manaus, 18 de outubro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Últimas Notícias / Brasil / Gilmar pede investigação de empresas que receberem dinheiro da campanha de Dilma

Gilmar pede investigação de empresas que receberem dinheiro da campanha de Dilma

Da redação | 06/05/2016 20:50

BRASÍLIA – O ministro Gilmar Mendes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pediu para o Ministério Público Federal e a Polícia Federal investigar indícios de irregularidades em relação a duas empresas que prestaram serviços para a campanha de Dilma Rousseff de 2014. Segundo informações prestadas pela Secretaria de Fazenda de Minas Gerais, as empresas Door2Door Log Serviços e a DCO Informática Comércio e Serviço tiveram seus cadastros bloqueados de forma suspeita.

No caso da Door2Door, em junho de 2011 houve o bloqueio compulsório da inscrição estadual, porque não foram apresentadas declarações fiscais. Em maio de 2012, o cadastro foi reativado. Em setembro de 2015, houve novo bloqueio compulsório da inscrição estadual pelo mesmo motivo.

A DCO teve sua inscrição estadual cancelada sem justificativa em outubro de 2004. Em junho de 2006, a inscrição foi bloqueada compulsoriamente, porque não havia endereço do estabelecimento cadastrado. Em dezembro de 2007, o cadastro foi reativado. Em março de 2014, a inscrição estadual foi novamente bloqueada, por falta de apresentação de declarações fiscais. Em setembro de 2014, no auge da campanha, o cadastro foi reativado. Em junho de 2015, a inscrição estadual foi bloqueada por “desaparecimento do contribuinte”. Em outubro do mesmo ano, houve o cancelamento definitivo da empresa.

Gilmar é relator da prestação de contas de campanha de Dilma. Embora a contabilidade da candidata petista já tenha sido aprovada pelo plenário do TSE em dezembro de 2014, logo depois das eleições, o ministro pediu a investigação de vários indícios de irregularidades à PF, ao MP, à Receita Federal e a outros órgãos de fiscalização. Na maior parte dos casos, há suspeita de que empresas de fachada receberam recursos da campanha de forma indevida.

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA