Gilmar Mendes não prevê contestação sobre votação do impeachment

SÃO PAULO – O ministro do Supremo Tribunal (STF) Gilmar Mendes afirmou que não deverá haver contestação judicial sobre a votação do processo de impeachment, feita neste domingo pela Câmara dos Deputados. Perguntado sobre se as justificativas dadas pelos deputados para seus votos – que raramente mencionaram as pedaladas fiscais – poderiam ensejar questionamentos da AGU, ele negou.

– Não, não por isso. Se olharmos o processo anterior, do presidente Collor, também tivemos esse tipo de manifestação. É claro que quando votam sim ou não, estão aprovando ou reprovando o relatório – afirmou.

Segundo Gilmar Mendes, muitas questões do rito do impeachment já foram balizadas no último julgamento em plenário feito pela Corte, na semana passada.

– Podem surgir incidentes, mas muitas das questões já foram reguladas.

Ele preferiu não emitir nenhum juízo sobre o resultado, já que se tratou de uma decisão política. Gilmar Mendes participa como palestrante do seminário “Desafios ao Estado de Direito na América Latina, promovido pela Fundação Getúlio Vargas e Bingham Centre for the Rule of Law, de Londres.

ver mais notícias