Fiesp dá almoço a manifestantes anti-governo na Paulista

SÃO PAULO – A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) ofereceu almoço para o grupo que passou a noite protestando contra a nomeação do ex-presidente Lula para o ministério da Casa Civil. A entidade nega.

De acordo com o ator e administrador Bruno Balestreiro, de 27 anos, um dos que passou a noite por aqui, pela manhã um representante da entidade ofereceu refeição para o grupo de cerca de 15 pessoas. Bruno, que afirma não pertencer a nenhum partido político ou movimento, disse que foi um ato de solidariedade por parte da entidade. A Fiesp já se posicionou a favor do impeachment de Dilma Rousseff e das manifestações que têm essa pauta.

– Conseguimos segurar os dois lados da Paulista fechados a noite toda. Dentro dessas circunstâncias, passamos a noite, não arredamos o pé. Vendo essa situação, um representante da Fiesp se solidarizou assim como qualquer empresa, casa de família faria. Foi solidariedade. Não temos ligação nenhuma com a Fiesp – disse.

Procurada, a Fiesp diz que ofereceu almoço para representantes de movimentos de rua que participam de reuniões na entidade na condição de parceiros. Ainda segundo a Fiesp, foi montada uma espécie de estação, um ponto de almoço. A comida servida é a mesma que é oferecida aos funcionários. Nesta quinta-feira, o cardápio teve carne com purê de batata e massa (penne ao sugo).

Balestreiro diz que vai ficar na Paulista “o tempo que for necessário” até que haja uma mudança e atribuiu a suspensão da posse do líder petista a pressão popular.

– A pressão popular é o que move a mudança no país. As máscaras vão caindo com o tempo. O PT é só a ponta do iceberg. Há ainda muitos outros nomes e partidos – completou.

ver mais notícias