Facções criminosas do RJ e SP rompem acordo e entram em guerra

Uma possível guerra declarada entre as duas maiores facções crimonosas do Rio e São Paulo está deixando as autoridades em alerta. A Secretaria de Segurança e a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) investigam a informação de que elas romperam um acordo e declararam guerra pelo controle do comércio de drogas nas fronteiras do país.naom_58040504c98dd

De acordo com o Jornal Extra, só nos últimos dez dias, pelo menos 70 presos paulistas, que cumpriam pena em cadeias controladas pelo maior grupo criminoso carioca, pediram transferências para outros presídios. O motivo dos pedidos foi o medo pelas retaliações.

Segundo informações o grupo criminoso liderado por Márcio Nepomuceno da Costa, o Marcinho VP, e Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e a facção criminosa paulista estaria ligado à atuação de bandidos cariocas que atuam com a importação de drogas em grandes quantidades.

O grupo paulista tinha exclusividade na importação clandestina de armas e na distribuição da cocaína que vêm da Bolívia e da Colômbia e da maconha que chega pela fronteira com o Paraguai. A facção do Rio ganhou apoio de traficantes paraguaios para atuar nas fronteiras.

Na ocasião, Sérgio Lima dos Santos, de 42, do Morro do Fogueteiro, em Santa Teresa, foi preso pela polícia paraguaia e acusado do assassinato de Raffat, após ter sido baleado pelos seguranças do criminoso.

Transferências

Só da cadeia pública Paulo Roberto Rocha, conhecida também como Bangu C e que é ocupada por internos da maior facção criminosa do Rio, 25 detentos foram transferidos, entre quinta e sexta-feira. Outros 11 presos saíram do presídio Vicente Piragibe, também em Bangu. Todos pediram para ir para cadeias ocupadas por uma facção criminosa rival ao do grupo liderado por Marcinho VP e Beira- Mar.

Em nota, a Seap disse que está adotando as medidas necessárias e que, por questões de segurança, as informações não serão divulgadas.

ver mais notícias